26
out
2012
Morar Juntos |Test Drive Antes do Casamento


“A convivência duradoura, pública e contínua, de um homem e uma mulher, estabelecida com o objetivo de constituição de família”, essa é a lei que determina a “união estável”. Olhando à primeira vista, a definição desse tipo de união é realmente semelhante com a definição do casamento tradicional.  Por mais que para a justiça casar e morar juntos seja quase a mesma coisa, por que muitos casais optam por fazer uma simulação do casamento, morando juntos, antes de efetivamente oficializar a união?

Para muitos casais a experiência de morar junto é enriquecedora, pois proporciona a oportunidade do casal se descobrir mais ainda vivenciando situações novas, como divisão de contas, entendimento do espaço alheio, divisão de tarefas, entre outros.

Segundo a psicóloga Karen Camargo, morar junto une convivência com conveniência. Além disso, morar juntos torna-se uma prova de nivelamento para o relacionamento, já que ao compartilhar momentos de intimidade o casal descobre o futuro do relacionamento.

Vale ressaltar dois pontos importantes: Primeiro, a decisão de morar juntos, antes de casar, influencia em toda vida familiar, principalmente porque, se os pais do casal forem mais tradicionais, a união poderá ser “mal vista” aos olhos da família. Por isso, é interessante fazer uma cerimônia que “oficialize” a união estável, como um jantarzinho para que as famílias tenham intimidade e conheçam melhor o ambiente do casal.

Outro ponto importante é a moradia do casal, o ideal é que, se antes de morar juntos ambos pagavam aluguel, continuem no mesmo esquema por pelo menos cinco anos. Para Gustavo Cerbasi, consultor financeiro, o casal não deve se afobar para comprar o imóvel próprio, é preciso que antes sejam avaliadas as reais necessidades do casal e as projeções para os próximos anos. Concomitantemente a isso, os valores de um financiamento são muito altos e pode fazer com que o casal não assuma outros riscos, deixando para trás alguma oportunidade.

Ainda, segundo Cerbasi, o mais indicado é que o casal estude juntos as melhores opções de alugueis e permaneçam nessa modalidade até saber exatamente o tipo de imóvel que precisam para o futuro. Cerbasi reafirma que “dessa forma, o casal terá maior flexibilidade, pode morar perto do trabalho de um dos dois, eliminando pelo menos a necessidade de um segundo carro e os gastos de transporte”, não só isso, caso aconteça uma proposta de emprego o casal estará livre para mudanças.

Ou seja, a experiência de morar juntos antes do casamento proporciona ao casal conversar (e testar!) amplamente sobre os objetivos de vida de cada um, entrar em projetos e tentar coisas novas. Após essa preparação, o casal poderá decidir em conjunto levar a vida a dois adiante.

Afinal, deve-se sempre lembrar que o importante mesmo, em qualquer tipo de união, é respeitar as diferenças, a preservação (tanto dos sentimentos de cada um, quanto das famílias e amigos), aprender com as críticas (muitas vezes elas são construtivas!) e se unir para somar, sempre!

E vocês o que acham de morar juntos antes do casamento??